Logo
Compartilhar:

Carlos ARANHA, a lenda muito viva

18 de março de 2017
Foto: div

Hoje conta mais um aniversário de Carlos ARANHA. Jornalista, escritor, poeta, compositor, cantor, produtor artístico, diretor.  Tudo isso e ainda um pouco mais. Carlos Aranha é desses nomes que na vida destacaram nas artes e cultura com tamanho além da média. Morou no Rio de Janeiro dos anos 60, 70, ao lado de Glauber Rocha, Naná Vasconcelos e outros e foi chefe de redação da extinta TV Tupi (uma gigante da comunicação na época tal como a Globo hoje).

Na Paraíba sua carreira passa pelo teatro, pelos antigos festivais de música ao lado de Zé e Elba Ramalho, compôs peças raras para a MPB, muitas ainda guardadas na gaveta, foi diretor de teatro, diretor da Rádio Tabajara, diretor da Funjope. Seu trabalho jornalístico e crítico rendeu a honra de ser hoje um dos nomes que compõem a Academia Paraibana de Letras.

Houve época em que produziu a MPB trazendo para João Pessoa e Campina Grande, os grandes shows de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gonzaguinha, Gal Costa, Ivan Lins, Simone e outros. Mas, foi mesmo no jornalismo que exerceu sua melhor performance através da escrita diária de colunas para os jornais A União, Correio, O Norte, e novamente A União, onde está até hoje.

Falar sobre Carlos Aranha é contar sobre um nome definitivamente marcado na história da Paraíba, é falar sobre uma lenda viva. Vida longa a este querido jornalista é o que deseja a AGENDA VIVA.
Gil Sabino