Logo
Eventos 28 de janeiro de 2022
WALTER Santos sugere apoio cultural aos artistas no Carnaval
thumb

O Publisher e jornalista, Walter Santos, faz em seu blog no portal WSCOM, uma análise das ações dos governos da região em relação ao apoio cultural prestado aos artistas nesse período que se aproxima, de momo, e sugere que a Paraíba possa repetir o feito. Leiam o texto:

Às vésperas do cancelado tríduo momesco no Nordeste – evento de grande mobilização popular -, afetando de imediato uma imensa rede de sobrevivência artístico-cultural ainda atraindo imensa quantidade de micronegócios (ambulantes), se faz fundamental chamar a atenção dos Governos para a urgência de apoio à essa Gente.

Para não dizer que não existem parâmetros, vejamos o que acontece em 4 microrregiões de Pernambuco servindo de espelho à Paraíba, com o Tesouro Estadual consolidando apoio financeiro na ordem de R$ 6,3 milhões, beneficiando mais de 750 artistas, grupos e agremiações alcançando milhares de profissionais da cultura que se apresentaram no Carnaval de Pernambuco em 2018, 2019 e 2020.

Leve- se em conta ainda que no ano passado, o valor destinado para o auxílio foi de R$ 3 milhões, contemplando à época 494 artistas ou grupos culturais. Agora a quantidade foi ampliada.

Para parametrar, o edital de Pernambuco prevê um piso de R$ 3 mil e um teto de R$ 30 mil para cada beneficiado, que serão pagos em parcela única.

A proposta é contemplar artistas ligados à cultura popular como cantores e cantoras, orquestras, blocos, troças, maracatus, tribos, caboclinhos, clubes de máscaras, cirandas, afoxés, ursos, escolas de samba, blocos líricos, clube de alegorias e clube de bonecos, entre outros gêneros artísticos.

Outra novidade é que o valor do Auxílio Emergencial Ciclo Carnavalesco corresponderá a 80% do último cachê recebido pelo artista ou grupo cultural contratado pela Fundarpe ou Empetur, nos ciclos carnavalescos dos anos anteriores.

Na verdade, como destacou o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, o edital visa minimizar o impacto econômico causado pela suspensão das festividades.

Seja como for eis a realidade pernambucana como elemento basilar a merecer tratamento proporcional na Paraíba podendo, inclusive, gerar acordo operacional entre Governo e Prefeitura para contribuir e/ou minimizar os efeitos danosos do cancelamento do Carnaval. Ainda tem mais os ambulantes.

*WSCOM