Logo
Compartilhar:

FCJA lança hoje as antologias ‘Janelas da História’, ‘PB na Literatura III’ e ‘Espelhos de Papel – Vol. 2’

10 de março de 2022
Foto: Div

Os livros Espelhos de Papel Volume 2, Paraíba na Literatura III e Janelas da História (da FCJA) serão lançados hoje pela Editora A União, a partir das 17h, no auditório da Fundação Casa de José Américo, em João Pessoa. O evento ‘Noite de Literatura’, que terá a presença do governador do Estado, João Azevêdo, presta homenagem ao patrono da FCJA, com o intuito de marcar os 42 anos de morte do escritor José Américo de Almeida, além de comemorar as quatro décadas de existência que a instituição completa em 2022.

O segundo volume de Espelhos de Papel é uma coletânea de 270 páginas que reúne 75 crônicas escritas em diferentes estilos por autores de gerações distintas, que abordam assuntos do cotidiano. “Essa obra é maior do que a primeira, que teve a participação de 19 cronistas e, agora, são 25 cronistas. É um livro fantástico, contendo uma diversidade de temas, como o futebol, que é abordado por Francisco Di Lorenzo Serpa, Martinho Moreira Franco e Walter Galvão, os dois últimos já falecidos e cujas crônicas foram escolhidas por familiares”, explicou a diretora presidente da Empresa Paraibana de Comunicação, Naná Garcez. “Mas também há autoras como Vitória Lima, Sandra Raquew, Ana Adelaide Peixoto e Analice Pereira, que dão diversidade temática e mostra a busca do equilíbrio em relação ao gênero. Essa obra traduz bem o que é a crônica como gênero literário e jornalístico e é uma contribuição para o universo da literatura”.

Já Paraíba na Literatura III reúne perfis de 20 grandes nomes das letras paraibanas assinados por igual número de personalidades da cena literária no Estado. A antologia será disponibilizada, pelo Governo do Estado, aos visitantes que venham a ser recebidos pelo governador João Azevêdo, cujo objetivo é promover e divulgar a literatura paraibana. “Essa série tem papel fundamental por mostrar a criação artística, a literatura e o exercício crítico da cidadania, além de resgatar grandes autores esquecidos, mas representativos em suas épocas e, ao mesmo tempo, trazer perfil de escritores contemporâneos, como André Ricardo Aguiar, Sitônio Pinto e Saulo Mendonça. E trazemos aqueles que faleceram, como Biu Ramos, Walter Galvão e Wellington Pereira e recuperamos a memória de Adalberto Barreto, Américo Falcão, Cristiano Cartaxo, Carlos Dias Fernandes”, comentou Naná Garcez.

A diretora presidente da EPC ainda destaca a presença feminina na obra, com nomes como Lylia Guedes, Analice Caldas de Barros, que escreveram na revista Era Nova e no Jornal A União, defendendo os direitos das mulheres, e, mais recente, Mariana Soares, Agostinha Vieira de Melo e Neide Medeiros Santos, atual cronista do jornal. “O livro tem um tratamento de luxo, capa dura e vem em uma caixa. É um momento que considero importante enaltecer a literatura paraibana, de modo que damos relevância para as escritoras, colocando-as no mesmo patamar dos autores homens”, disse Garcez.

Por fim, Janelas da História é uma coletânea da FCJA, em parceria com a Editora A União, com 48 artigos publicados semanalmente, nas páginas de A União, entre os anos de 2020 e 2022. “O livro é uma reunião de impressões, análises históricas e contam um pouco da Fundação e do seu patrono. Talvez seja o primeiro livro que tenha um olhar crítico e analítico sobre o cenário da cultura, visto que boa parte dos artigos foi gerada no isolamento causado pela Covid-19, alguns por quem sequer tinha escrito na vida, e que inclui escritos de autoria de servidores da própria Fundação”, disse o presidente da FCJA, Fernando Moura, acrescentando que o objetivo do lançamento da obra “é preservar a memória, em formato impresso, do patrono da instituição, para que seja fácil de localizar pelo leitor, e colocar a própria Fundação em contato com a sociedade”.

Coordenador do programa editorial da FCJA, Juca Pontes lembrou que Janelas da História reúne os textos escritos por nomes como Damião Ramos Cavalcanti, Gonzaga Rodrigues e Marília Carneiro Arnaud. “São tratados temas a respeito do próprio Museu da FCJA, sua obra e relatos de quem chegou a conviver com José Américo. Nessa nova fase de A União, Naná Garcez tem mantido o compromisso de trazer qualidade ao que tem sido publicado na Paraíba”, comentou Pontes.

“Esses são os três primeiros lançamentos em 2022 e já estamos trabalhando, paralelamente, em outros projetos”, garantiu o gerente executivo da Editora A União, Alexandre Macedo. Para ele, Paraíba na Literatura é uma série que tem repercussão muito positiva para a EPC, por abranger diversidade de estilos e contar com a participação de literatos de várias gerações. “Destaco a participação das mulheres escritoras não só neste novo volume, como também nas duas edições anteriores, a exemplo de Lourdes Ramalho, Maria Valéria Rezende, Violeta Formiga, Mercedes Cavalcanti (Pepita), Vitória Lima, Elizabeth Marinheiro, Maria José Limeira, a monja Agostinha Vieira e Neide Medeiros”, elencou.