Logo
Compartilhar:

Washington Espínola, paraibano radicado na Suiça, lança novo albúm

13 de setembro de 2021
Foto: Div

A semana inicia com a ótima notícia do paraibano Washington Espínola, que acaba de lançar o álbum “The 8th Change”, com lindas canções, algumas até lembrando o toque mágico das lendárias bandas Beatles, e Pink Floyd.

Washington Espíndola conta que vem desta vez com CD duplo contendo 18 faixas, composições que trabalhou e produziu durante um ano para finalizar o álbum. Diga-se de passagem, mais uma obra prima, segundo escreve o jornalista Gil Sabino, especializado em cultura..

O novo trabalho pode ser acessado nas plataformas de música e streaming. Veja o link :

https://open.spotify.com/track/0P0Jfp4xy9VxuaHTspwfbS?si=bFPlNWIgR6uc4jvcpK-Ong&utm_source=copy-link&dl_branch=1

Sobre Washington Espíndola

             Com 17 cds gravados, e mais este novo lançamento “The 8th Change”, entre Brasil e Europa, Washington Espínola tocou em diversos festivais de jazz como, Montreux, MainZ, Insbruck, Marignac, Sappey, Porto, Eslovênia, Roma, Manchester etc.

A sua música também é cantada em português, inglês, francês, grego e russo, e claro, tocada em instrumental.

Washington Espíndola saiu do estado da Paraíba, Brasil, em 1996, para tocar acompanhando um amigo artista, Golinha, na época, que foi participar do Festival de Montreaux. Daí, já tinha morado em São Paulo, e resolveu de vez realizar seu projeto de morar fora do Brasil, justamente para ampliar as possibilidades de sua carreira artística. Logo formou um trio, e ao lado da cantora brasileira Diana Miranda fez shows por toda a Europa.

Ele conta também sobre as influências, que são tantas e boas como Beatles, Cream, Hendrix, Mahavisdhnu, Holdsworth, Gismonti, Shankar, Ravel, Pat Metheny, Baden Powel, Terje Rypda l, Santana, Wes Montgomery, Armandinho, etc. Toca violão, piano e usa melodias como parte forte de suas composições, com todos os tipos de estilos musicais (World Music, Fusion, Jazz, Rock, Pop).

O artista conta que hoje, além de suas turnées em shows pela Europa, ensina música na Geneve International School, uma escola bastante conceituada da Suiça.

Em conversa com a redação, Washington Espíndola disse estar muito triste com as notícias que vem acompanhando sobre o Brasil, e que a imagem projetada do país na Europa, tem sido motivo de chacota – lamenta. O artista confirma que no final do ano pretende vir ao Brasil para rever amigos, fazer contatos profissionais e alguns shows ainda em fase de agendamento. É aguardar pra ver, e por enquanto curtir o novo álbum.

G.S