Logo
Teatro 12 de agosto de 2021
Paulo José ícone do cinema, teatro e TV, morre aos 84 anos
thumb

Ele deixa esposa e quatro filhos: Ana, Bel e Clara Kutner, de seu relacionamento com a atriz Dina Sfat, além Paulo Henrique Caruso

247 – Morreu nesta quarta-feira (11) no Rio de Janeiro, aos 84 anos, o ator Paulo José. Ele estava internado há 20 dias e faleceu em decorrência de uma pneumonia. O artista também sofria com Mal de Parkinson.

Paulo José deixa esposa e quatro filhos: Ana, Bel e Clara Kutner, de seu relacionamento com a atriz Dina Sfat, além Paulo Henrique Caruso.

Em 60 anos de carreira, o ator atuou em mais de 20 novelas e minisséries e também trabalhou como diretor.

Pelo Twitter, diversas personalidades lamentaram a morte do ator:

Patricia Pillar: “perdemos um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos, o Paulo José. Ser humano generosíssimo e um ator brilhante. Seus personagens podiam ser leves e profundos ao mesmo tempo. Um artista gigante! Fará muita falta pra nós! Fica aqui meu carinho para suas filhas e amigos”.

Pablo Villaça: “Paulo José é um dos maiores atores que nosso Cinema produziu. Sim, ‘é’, no presente, porque a Arte tem o poder de eternizar seus grandes representantes – e ele foi um dos maiores”.

Dadá Coelho: “obrigadadá, Paulo José. Meu grande amor PJ nos deixou. A morte é um instantâneo. Uma hora se está, outra não se está mais. Que sorte a minha fazer a escola da Terra com você, meu amigo. Obrigada por ter nascido, homem gentil. Deus te abençoe por tanta sabedoria e bondade”.

Cynara Menezes: “Paulo José, mais um grande ator que se vai. Se existir céu, hoje tem festa do reencontro dele com Flávio Migliaccio, seu parceiro em Shazan e Xerife (1972). E com a genial Dina Sfat também. Que vá em paz”.

Hildegard Angel: “vai em paz, Paulo José. Muito triste. Grande ator, ótima pessoa, estimado por todos. Daquela geração linda de Domingos, Carvana, Leila, Isabel, Joana, Dina, Cecil, Flávio… Quanta história! Esse negócio de morrer devia ser abolido para certas pessoas que só acrescentam à vida”.